top of page

Revolução Silenciosa: As Igrejas Caseiras na Ásia!

Os cristãos na Asia, não se encontram aos domingos apenas para cultuarem a Deus, mas são como substitutas da família e como rede social de contato. A grande parte dos cristãos se reúnem em igrejas domésticas, camuflando seus cultos de adoração com o pretexto de se unirem para compartilharem simples momentos de refeição juntos. Mas ao estarem juntos, oram, leem a bíblia e adoram silenciosamente.

E ainda que fosse permitido oficialmente, muitos cristãos não entrariam em templos. Já que na cultura islâmica seriam considerados traidores. Tal ato é motivo de retaliação entre os familiares e o meio social variando entre prisões domiciliares, insultos, violência domestica, ferimento por acido e tentativas de assassinato. Por isso, muitos cristãos mantem a fé em segredo.


A sociedade centro-asiática consiste em estruturas familiares muito próximas e comunidades em que todos se conhecem. Se um cristão de origem muçulmana frequentasse uma igreja oficial, as notícias se espalhariam pela comunidade em segundos. É principalmente por esse motivo – o medo não apenas do governo, mas também de seu ambiente social – que os cristãos se reúnem em pequenas e discretas igrejas domésticas.


A Igreja na Ásia


Algumas igrejas na Ásia tentaram seguir o modelo ocidental, mas perceberam que ela não aplicava a realidade de cultura do centro-asiático. Relata um dos irmãos que a cultura é toda sobre hospitalidade e sempre que se encontram, comem juntos. Na maioria dos casos, adoração na Asia central significa comunhão e discipulado. Com exceção das igrejas russas ortoxas que se reunem em templos, a maioria realiza suas reuniões nas casas. E mesmo que pudessem se reunir em templos, os pedidos de permissão para a reunião publica tem diversas burocracias, como pedido mínimo de membros para abertura local, e é constantemente controlada pelo governo. Eles são vistos explicitamente como inimigos, principalmente se pregarem o evangelho para muçulmanos.


A perseguição varia entre os cinco países, mas as medidas para as reuniões sempre precisam de certa cautela por parte dos cristãos, já que estão à mercê de punições pelo Estado, visto que a distribuição de produtos religiosos, uso público da Bíblia fica sujeito a multas.


Por isso, os cristãos em geral se encontram em grandes salas de estar, onde sentam sobre tapetes, bebem chá ou comem juntos enquanto há um estudo bíblico.



Igreja x Cultura


A cultura é fortemente caracterizada pela valor comunitário. Por isso, a igreja se torna uma família para os cristãos expulsos da sua família de origem.

Quando os laços com a família e a vizinhança, que determinam a vida de uma pessoa na Ásia Central, são quebrados de um dia para o outro, é algo muito doloroso.

Entretanto, isso não afeta apenas questões emocionais, mas práticas também. Serviços públicos básicos são insuficientes em muitos lugares na região.


Perseguição Social


Dentro da sociedade é de extrema importância a pelas estruturas sociais e familiares. Existe uma honra esperada em manter a fé e tradições familiares por gerações na Ásia. Mas àqueles que decidem ir pra Cristo, arriscam sua sobrevivência e a oportunidade de perdem emprego, recursos, apoio e serem expulsos do vilarejo. Alguns são excluído do circulo familiar de um dia para o outro, e perdem o convívio que tinham com seus vizinhos e parentes. Os pais instruem seus filhos a pararem de falar com aqueles que confessam a fé em Jesus Cristo.

E os variados tipos de perseguição e violência são enfrentados, com o fim de intimidar os novos convertidos, as regras e condutas são esperadas e exigidas e quando não atendidas, as perseguições e ameaças são realizadas pois tem eles como traidores.

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page